Alternativas Económicas

Novas atividades económicas e legais para as comunidades costeiras implicadas na captura e comercialização das tartarugas marinhas.

Para proteger as tartarugas marinhas num país onde sempre foram consideradas um recurso económico importante, é preciso criar alternativas económicas para as pessoas que dependiam economicamente destas espécies ameaçadas. Para além dos 50 agentes locais, a maioria ex-capturadores de tartaruga marinha, actualmente membros da equipa, era importante envolver também as mulheres vendedoras de carne de tartaruga. As palaiês (vendedoras) do mercado municipal de São Tomé que dependiam essencialmente do comércio de produtos derivados destas espécies, com o apoio do Programa Tatô decidiram abandonar esta prática ilegal e criaram em 2016 a associação “Queremos ter um futuro com destino”. Desde então, o Programa Tatô tem acompanhado este grupo de senhoras e apostado na sua formação, reconversão e crescimento profissional. Apostamos assim na confecção e comercialização de artigos de artesanato originais feitos à base de materiais reciclados e tecidos africanos. Tais produtos encontram-se à venda em vários pontos de ambas as ilhas de São Tomé e Príncipe.

principais resultados

18

mulheres envolvidas

8

formações em diferentes áreas

2500

produtos vendidos

galeria